Qual é sua vocação?

Agosto, mês vocacional

Aqui estou senhor!

"Eu e minha casa serviremos ao Senhor" (Josué 24, 15). 

   Dentro do Mês Vocacional, a Igreja no Brasil celebra, na segunda semana de agosto, a Semana Nacional da Família, uma mobilização de grupos e comunidades que ocorre, desde 1992, com momentos de oração, formação e reflexão. Neste ano, a Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) propôs como tema "Eu e minha casa serviremos ao Senhor" (Josué 24, 15). 

   Na vida cristã, a vocação à família é um dom inestimável. A família é o berço de todas as outras vocações. A família é o lugar onde se desenvolvem nos seres humanos os seus relacionamentos mais significativos e especiais. É instituição divina desde a criação do mundo. "Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá a sua mulher e os dois já não serão mais duas, mas uma só carne". A união entre o homem e a mulher é fundamental e querida por Deus. Os filhos são a bênção do casamento, que trás em seu bojo os sinais da fidelidade, da fecundidade e da eternidade.

   Jesus nasceu em uma família: a sagrada família de Nazaré. Filho de Maria e José. A igreja é a família de Deus. Nela todos são chamados a servir ao Deus vivo e verdadeiro: "Crê no Senhor Jesus e serão salvos tu e os de tua família". Nosso tempo urge que as famílias se convertam na fé e animem o mundo com a força que vem do próprio Deus. Ainda o Catecismo da Igreja Católica, no § 1656, ressalta esta necessidade: "Em nossos dias, num mundo que se tornou estranho e até hostil à fé, as famílias cristãs são de importância primordial como lares de fé viva e radiante. Por isso, o Concílio Vaticano II chama a família usando uma expressão antiga, de "igreja doméstica". É no seio da família que os pais são para os filhos, pela palavra e exemplo, os primeiros mestres da fé. E favoreçam a vocação própria a cada qual, especialmente a vocação sagrada".

    O lar da família é o espaço privilegiado da educação, do cuidado e da ternura; é a escola da vida e da fé. Os pais são, portanto, o primeiro catequista de seus filhos. Cabe-lhes introduzir sua prole no caminho cristão e acompanhar todo o seu desenvolvimento nas diversas etapas do caminho da fé. É lá, também, o celeiro de vocações e de um suficiente e necessário desenvolvimento e enriquecimento da pessoa humana. As melhores e mais importantes lições vêm de casa. Ninguém deve estar privado da família. Assim também nossas igrejas, comunidades paroquiais devem ser casa e família para todos, especialmente para os mais cansados, excluídos e enfraquecidos. Seguindo a orientação de São Paulo, na carta aos Efésios, que os maridos amem suas esposas como Cristo amou a Igreja. Grandioso mistério de amor de um Deus que se revela e se deixa conhecer.

"Que a família comece e termine sabendo onde vai, que o homem carregue nos ombros a graça de um pai; que a mulher seja um céu de ternura, aconchego e calor e que os filhos conheçam a força que brota do amor" (Pe. Zezinho)!


Testemunho familiar


"Não ardia nosso coração?" (Lc 24,32)

   Todo alvorecer de agosto suscita nos corações sempre mais o apelo do Chamado.

   Referir-se à vocação, em primeiro lugar é reavivar aquilo que o Tema Nacional do Mês Vocacional deste ano nos apresenta, da certeza de que somos "Amados e chamados por Deus", que tudo faz por amor e nos chama a partilhá-lo com Ele e com os irmãos.

   Em tempos cada vez mais marcados pelo distanciamento físico, resistir as tentações da indiferença, do exclusivismo e individualismo é redescobrir nossa essência como Cristãos Batizados. Por ela, assumimos a adoção filial de um Pai Amoroso, nos colocamos à disposição na construção de seu Reino e nos comprometemos a ser Discípulos Missionários.

   Dessa forma, rompemos com as correntes do desânimo e das frustrações das muitas de nossas escolhas e, passo a passo, somos interpelados pelo Senhor, companheiro na caminhada.

Sim! "O Senhor permaneceu ao meu lado e me deu forças" 2Tm 4,17.

   A convicção de São Paulo comunica a esperança recebida do próprio Cristo que, conforme aos Discípulos de Emaús, de cuja fonte espiritual temos por Carisma, faz nosso coração arder de amor, de responder ao Senhor com um Sim generoso, de encontrar sentido e valor para a opção fundamental de nossa vida, e dela fazer valer a pena.

   O Senhor não decepciona jamais! Seu chamado, sobretudo, é uma demonstração de confiança que tranquiliza o coração, quando o medo nos leva a calafrios; arde-o, quando as frustrações nos abatem; alegram-no, quando as incertezas nos deprimem.

   Seja qual for a realidade do chamado que o Senhor nos faz, Vida Consagrada, Presbiteral, Matrimonial e Laical, todos somos Vocacionados, pois todos somos amados e chamados por Deus.

   De tal modo, responder sim a Ele é prosseguir em nossa caminhada de Vida não com o peso das escolhas de outrora e como a cegueira dos Discípulos, que faz andar de dia e não enxergar, mas ouvir a voz de Cristo, que refaz o caminhar e ilumina as decisões da vida, ao passo que, mesmo nas noites escuras, brilha a Luz da Fé em "Cristo, que vive, nossa Esperança" (Christus Vivit, 1) e não nos decepciona jamais!

   Que a exemplo da Virgem da Visitação, possamos fazer em nós a vontade do Senhor e sermos com Ele, sinais de vida, esperança e salvação! Assim seja! Amém!




"O Bom Pastor dá a vida 

pelas ovelhas"

Dos Sermões de Basílio de Selêucida (séc. V), bispo:

   "Olhemos para o nosso pastor: Cristo. Ele Se alegra com as Suas ovelhas que estão perto de Si e vai à procura das que se perderam. Não Lhe fazem medo as montanhas nem as florestas; percorre as ravinas para chegar até à ovelha perdida. Mesmo que a encontre em mau estado, não Se encoleriza mas, tocado pela compaixão, põe-na aos ombros e, com a Sua própria fadiga, cura a ovelha fatigada (cf. Lc 15,4ss).

   É com razão que Cristo proclama: Eu Sou o Bom Pastor "procurarei aquela que se tinha perdido, reconduzirei a que se tinha tresmalhado; cuidarei da que está ferida e tratarei da que está doente" (Ez 34,16)

   Eu vi o rebanho dos homens acabrunhado pela doença; vi os Meus cordeiros irem para onde moram os demônios; vi o Meu rebanho despedaçado pelos lobos. Vi tudo isto e não foi do alto. Foi por isso que tomei a mão dissecada pelo mal como se tivesse sido mordida por um lobo; libertei aqueles que a febre tinha aprisionado; ensinei a ver aquele que tinha os olhos fechados desde o seio da sua mãe; retirei Lázaro do túmulo onde jazia já há quatro dias (Mc 3,5; 1,31; Jo 9; 11). «Porque Eu sou o bom pastor; o bom pastor dá a vida pelas Suas ovelhas».

   Os profetas conheceram este pastor visto que, bem antes da Sua Paixão, já Ele anunciava o que estaria para vir: «Foi maltratado, mas humilhou-se e não abriu a boca, como um cordeiro que é levado ao matadouro, ou como uma ovelha emudecida nas mãos do tosquiador» (Is 53,7).

   Como uma ovelha, o pastor expôs a Sua vida pelas suas ovelhas. Pela Sua morte, remediou a morte; pelo Seu túmulo, esvaziou os túmulos. Os túmulos estão tristes e a prisão está fechada enquanto o pastor, descido da cruz, não vem trazer às Suas ovelhas encarceradas a alegre notícia da libertação. Vemo-Lo nos infernos, onde dá a ordem de libertação (cf. 1Pd 3,19); vemo-Lo chamar de novo as Suas ovelhas, chamá-las como as chamou da morada dos mortos para a vida. «O bom pastor dá a vida pelas Suas ovelhas». É assim que Ele Se propõe ganhar a afeição das Suas ovelhas e aquelas que sabem ouvir a Sua voz amam a Cristo".


O que é ser sacerdote?


Confira o vídeo na íntegra

Qual é a essência do sacerdócio?               

Como é ser um sacerdote nos dias de hoje?  

Como é ser um sacerdote no Instituto dos Frades de Emaús?  

Querido Jovem
O que você vai SER?
Você é jovem. Tem todo o futuro aberto à sua frente. O que você vai fazer com essa sua vida tão preciosa. Nós estamos querendo ajudá-lo a escolher um caminho.

Falamos da possibilidade de você ser um missionário, uma pessoa consagrada a Deus. Caminhemos juntos, para que você escolha o melhor para sua vida.

Nós falamos de vocação para ser um frade Emaús. Vinde e Vede!. Deus te está chamando.

O que é vocação?

A palavra "vocação" inclui o chamado à vida, o chamado à amizade com Cristo, o chamado à santidade, etc.

Para discernir a própria vocação é preciso reconhecer que essa vocação é o chamado de um amigo: Jesus. Aos amigos, quando se dá algo, se oferece o mais caro ou difícil de conseguir, mas o que dará alegria ao outro. O dom da vocação será, sem dúvida, um presente exigente. Os dons de Deus interativos e, para apreciá-los, é preciso arriscar. Quando o Senhor suscita uma vocação, não apenas pensa no que tu és, mas em tudo o que, junto a ele e os outros, virás ser. 

Como discernir minha vocação?

Uma expressão de discernimento é o ESFORÇO por RECONHECER a própria VOCAÇÃO. É uma tarefa que requer espaços e solidão, porque se trata de uma decisão muito pessoal que mais ninguém pode tomar em seu lugar. Esse silêncio não é uma forma de isolamento, pois devemos nos lembrar de que "o discernimento orante exige partir da predisposição para escutar: o Senhor, os outros, a própria realidade que não cessa de nos interpelar de novas maneiras. Somente quem está disposto a escutar é que tem a liberdade de renunciar a seu ponto de vista parcial e insuficiente. Dessa forma, está realmente disponível para acolher um chamado que quebra as suas inseguranças, mas leva-0 a uma vida melhor, porque não é suficiente que tudo corra bem, que tudo esteja tranquilo.

Quando se trata de discernir a própria vocação, é necessário fazer várias perguntas. Não se deve começar por questionar onde se poderia ganhar mais dinheiro, onde se poderia obter mais fama e prestígio social, mas também não é conveniente começar a se perguntar quais tarefas lhe dariam mais prazer. Para não se enganar, é preciso mudar de perspectiva, perguntando: Conheço a mim mesmo, para além das aparências ou dos meus sentimentos? Sei o que alegra ou entristece o meu coração? Quais são meus pontos fortes e minhas fragilidades? Qual é o meu lugar nessa terra? Para que Deus me trouxe ao mundo?

Coragem!

Curta, comente e compartilhe!

Use a #fradesdeemaus

Vinde e Vede!

Qual é a sua vocação?

Já discerniu?

Frades de Emaús
Frades de Emaús

Jovem, não tenha medo de entregar sua vida a Deus! Consagre sua vida a Ele!

Venha e seja feliz sendo um Frade de Emaús!

Em meio a tantas situações cotidianas da vida, dificilmente paramos para nos perguntar: Qual será o projeto de Deus em minha vida?

Não deixe o medo tomar conta de você o impedindo de dar um passo a frente.


Faça contato conosco!

Vinde e Vede como é bom Como é Suave os irmãos Viverem Juntos bem Unidos!

Salmo 132 (133)