30º Domingo do Tempo Comum

27/10/2019

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas

Naquele tempo
9 Jesus contou esta parábola
para alguns que confiavam na sua própria justiça
e desprezavam os outros:
10 'Dois homens subiram ao Templo para rezar:
um era fariseu, o outro cobrador de impostos.
11 O fariseu, de pé, rezava assim em seu íntimo:
'Ó Deus, eu te agradeço
porque não sou como os outros homens,
ladrões, desonestos, adúlteros,
nem como este cobrador de impostos.
12 Eu jejuo duas vezes por semana,
e dou o dízimo de toda a minha renda'.
13 O cobrador de impostos, porém, ficou à distância,
e nem se atrevia a levantar os olhos para o céu;
mas batia no peito, dizendo:
`Meu Deus, tem piedade de mim que sou pecador!'
14 Eu vos digo:
este último voltou para casa justificado, o outro não.
Pois quem se eleva será humilhado,
e quem se humilha será elevado.'
Palavra da Salvação.


Comentário do Evangelho

Frei José Anchieta Varela, IFE

Caros irmãos e irmãs, no Evangelho Jesus nos apresenta duas atitudes que ele observou em seu tempo: a do fariseu e a do publicano. O fariseu apresenta-se diante de Deus cheio de si. Ele fica em pé, reconhece suas virtudes e sua prática religiosa perfeita. O fariseu se considera justo, cumpridor das leis, um homem de bem e religioso. Pensa sertão perfeito que na sua arrogância não apresenta a Deus nenhuma obra de misericórdiae compaixão, mas se gaba de sua prática religiosa vazia de caridade. Ainda despreza, julga e condena o seu próximo. Sua oração prepotente não agrada a Deus e por isso volta para casa do jeito que foi ao tempo, cheio de si, de sua soberba mas vazio de Deus, do seu amor. O publicano ao contrário, reconhece sua pequenez, seus pecados. Ao longe, nem se atreve a levantar os olhos, bate no peito,reconhece sua miséria humana e pede a Deus piedade batendo no peito. O publicano, na sua humildade, volta para casa justificado. Chegou ao templo pecador, indigno, mas, mas esvaziado de si mesmo, sem julgar ninguém, sem condenar o próximo, mas pedindo perdão por seus pecados. Volta cheio de Deus, do seu amor misericordioso.

Quem somos nesta parábola? Qual a nossa atitude hoje? Como nos apresentamos diante de Deus?Somos religiosos e cumpridores das leis de Deus para nós enchermos de orgulho e soberba? Vamos à Igreja para nos gabarmos de sermos pessoas de bem diante dos outros? Vamos à Igreja para nos julgarmos melhores do que as outras pessoas? Não irmãos e irmãs, vamos à igreja porque precisamos da misericórdia e do perdão de Deus. Pois, sabemos que, mesmo buscando praticar suas leis e seus ensinamentos, não somos perfeitos e estamos propensos ao pecado e que nossa prática religiosa não nos torna superiores a ninguém. Esta é a sentença final de Jesus: "quem se eleva será humilhado e quem se humilha será elevado".

Se vamos à igreja e praticamos a leis de Deus é para sermos pessoas melhores, mais humanas, mais generosas e humildes. É bom fazer um belo exame de consciência e bater no peito e pedir: "meu Deus tem piedade de mim, que sou pecador".

Deus te abençoe. Seu domingo seja de paz e bem!